SOMENTE DEUS

"Matrículas abertas durante o mês de julho/2017".

26.8.17

O NOSSO INTERCESSOR

"Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós." (Romanos 8:34)


Que consolo é saber que Cristo intercede por nós no céu.

Por que isso é importante? Porque o diabo certamente virá e sussurrará ao nosso ouvido: "Por que você não vai em frente e peca?" Ninguém jamais saberá. Eu não o diria se não fosse assim." Então mordemos a isca e fazemos a coisa errada.

E em seguida o diabo se volta para nós e diz: "Seu hipócrita miserável. Você acha que é digno de se aproximar de Deus? Acha que Ele ouvirá as suas orações?" Ele vem com a tentação e quando mordemos a isca, ele vem com as acusações.

Pense nisso como num tribunal, com Jesus sendo nosso advogado de defesa e o diabo o promotor. A Bíblia diz que o diabo nos acusa diante de Deus, dia e noite (ver Apocalipse 12:10). Ele basicamente diz a Deus: "Sabe, essa pessoa é um hipócrita. Não é um bom cristão. Você não deveria ouvir suas orações." 

Então Jesus basicamente diz: "Sim, eu sei que ele está confuso, mas eu o amo e estou intercedendo por ele". Jesus é o nosso Intercessor, intercedendo diante de Deus em nosso favor. 

A ressurreição de Jesus Cristo me garante que Ele intercede no céu por mim. Romanos 8:34 diz: "Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós". 

Hebreus 7:25 nos diz: "Portanto ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles".

Não é difícil ser cristão; é impossível - sem a ajuda de Deus. E porque Jesus morreu e ressuscitou, Ele intercede por nós diante do Pai.


Transcrito de Diários devocionais - contato@devocionaisdiarios.com – 30/01/17

22.7.17

PERGUNTANDO: POR QUÊ?


"Ficarei no meu posto de sentinela e tomarei posição sobre a muralha; aguardarei para ver o que ele me dirá e que resposta terei à minha queixa." (Habacuque 2:1)

Não muito tempo atrás, uma mulher que havia perdido um filho me disse: "Greg, tudo o que posso perguntar é: "Por que?" E ela disse: "É errado perguntar por que?"

Eu disse a ela: "Não acho que seja errado. Você pode perguntar o que quiser. Jesus perguntou: 'Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?' (Mateus 27:26)" E acrescentei: "Não espere necessariamente uma resposta e, mesmo que Deus lhe dê uma, não sei se você realmente gostará dela."

Por quê? Por quê? E se Deus realmente respondesse a essa pergunta? Aconteceu com Habacuque. Ele estava perguntando a Deus por que certas coisas estavam acontecendo. Elas não faziam nenhum sentido para ele e então Deus disse: "Olhem as nações e contemplem-nas, fiquem atônitos e pasmem; pois nos dias de vocês farei algo em que não creriam, se lhes fosse contado." (Habacuque 1:5)

Habacuque essencialmente respondeu: "Experimenta-me".

E quando Deus lhe disse o porquê, Habacuque não gostou da resposta de Deus. Ele não concordou com ela.

Deus poderia nos dizer os por quês, mas nunca vamos conseguir entendê-los completamente até chegar ao céu e ver as coisas como elas realmente são.

Então, em vez de perguntar por que, talvez uma pergunta melhor seria: "O quê?" Como em: "O que você quer que eu faça?"

O que Deus quer que você faça é chamá-Lo. Quando as pessoas vêm a mim e estão sofrendo, quando me pedem respostas, eu lhes digo: "Não tenho uma resposta, mas aqui está o que eu tenho: Voltai-vos para Deus, inclinai-vos sobre Jesus."

Um dia, os por quês serão explicados. Até lá, tudo é sobre quem e o quê. A quem nos voltamos e o que fazemos. Assim, quando a tragédia lhe atingir, não corra de Deus; pelo contrário: vire-se para Ele.


Transcrito de: contato@devocionaisdiarios.com19 Jan 2017 06:0

16.7.17

A PERGUNTA DO FILHO


"Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos".
  (Atos 4:11-12)

A sabedoria convencional sobre o que acontece quando morremos é de que você vai ficar diante de Deus, e se você fez mais boas obras do que más, então irá para o Céu, pois o céu é para pessoas boas. Pessoas boas vão para o céu.

A outra crença é que se você fez mais obras más do que obras boas, então irá para o inferno, pois ele é para pessoas más. O céu é para pessoas que entram pelas suas boas obras enquanto o inferno é para pessoas más que fizeram coisas ruins.

Mas isso não é o que a Bíblia ensina. A Bíblia ensina que o inferno está preparado para o diabo e seus anjos (ver Mateus 25:41). Ele não está preparado para pessoas más, de modo algum.

O céu é a morada de Deus, e o caminho para o céu é baseado no que você fez com Jesus. O que Deus vai querer saber é: você acredita em Jesus Cristo?

Mesmo que você tenha vivido uma vida perversa e tenha muitos pecados, se no seu leito de morte você clamasse ao Senhor Jesus Cristo em arrependimento genuíno, você iria para o céu. Mas se você vivesse uma vida boa e fosse uma pessoa relativamente ética e fizesse boas ações, mas nunca colocasse sua fé em Jesus Cristo, então você não iria para o céu. E, a propósito, suas boas obras nunca superariam suas más obras. Portanto, seja grato por não ser por isso que você será julgado.

A certeza de que iremos para o céu não é baseada em como nossa sociedade muitas vezes vê isso, mas no que a Bíblia ensina. A questão é o Filho - não o pecado.
  Transcrito de: contato@devocionaisdiarios.com  de 18 Jan 2017 06:01

9.7.17

PARA A SUA GLÓRIA

"Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam." (Efésios 4:1)

Você está vivendo bem a sua vida? Essa é uma questão muito importante, porque você nunca sabe quando a sua vida irá acabar.

Num sentido amplo, a vida para o cristão nunca terminará, pois há uma vida após a morte. Há um céu. E, finalmente, haverá uma nova terra onde governaremos e reinaremos. Mas, de acordo com a Escritura, o que faremos depois está ligado à forma como vivemos agora. Então queremos pensar sobre as nossas vidas e sobre o modo como as vivemos hoje.

Todos assumimos que viveremos uma vida longa. Talvez você seja uma pessoa jovem que esteja apenas começando. Talvez tenha vivido muitos e muitos anos. Talvez seja de meia-idade. Seja qual for a sua idade, você não sabe onde se encontra na jornada da vida. E essa é uma coisa sobre a qual todos nós temos que pensar.

Vivemos nossa vida como uma história que está sendo contada, e, para alguns de nós, podemos estar mais longe nessa história do que imaginamos. Então temos que nos fazer perguntas como: "Que propósito Deus tem em mente para mim agora que eu entreguei a minha vida a Jesus Cristo?" E: "Qual será o legado da minha vida? Como vou ser lembrado?"

Estamos aqui para trazer glória a Deus - nada mais, nada menos. Portanto, o objetivo não é ser o mais bem sucedido ou ter mais isto ou mais aquilo; mas ser fiel àquilo que Deus colocou diante de cada um de nós.

Não devemos olhar para o sucesso de outra pessoa e dizer: "Por que não eu?" Nem devemos olhar para nosso próprio sofrimento e dizer: "Por que eu?" Em vez disso, devemos simplesmente dizer: "Senhor, como posso glorificar-te melhor com a minha vida?"


Transcrito com a permissão de contato@devocionaisdiarios.com

5.7.17

PERSISTINDO


"Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:13-14)

Algumas pessoas dizem que não querem ir à igreja porque a igreja está cheia de hipócritas. Elas identificam qualquer cristão que peca como sendo um hipócrita. Se você faz ou diz qualquer coisa que não corresponde à sua fé como um seguidor de Jesus, você é imediatamente rotulado dessa forma.

Mas só porque você acredita em algo e nem sempre faz jus a isso, não significa que seja um hipócrita. Significa que você é humano. Ninguém atende o tempo todo os altos padrões de Deus. Todos ficamos aquém da Sua glória em repetidas vezes. Somos pessoas imperfeitas servindo a um Deus perfeito.

Mesmo o grande apóstolo Paulo admitiu esta luta: "Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio. E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa. Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim." (Romanos 7:15-17).

Essa não era a experiência cotidiana de Paulo, mas era uma admissão sincera. E isso não deve ser usado como uma justificativa para dizer que sempre lutaremos dessa forma e, portanto, não devemos nem nos dar ao trabalho de tentar. Paulo também escreveu: "Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus." (Filipenses 3:12).

Quanto mais você avança na vida cristã, mais vai perceber que precisa ir adiante. Essa é a marca de um crescimento cristão genuíno.

 Transcrito de: Devocionais Diários

contato@devocionaisdiarios.com  - 01 May 2017